Artigos

 Falsos Cristos e Falsos Profetas por Pe. Sílvio Mocelin


   

Na convivência diária, pessoas de religiões e igrejas diferentes, dialogam sobre religião e alguns comentam: “Deus é um só, eles também crêem em Jesus e anunciam o evangelho. Isto dá a impressão que tanto faz uma como outra igreja.

 

Estas afirmações têm algo de verdade e algo de engano. É verdade que há um só Deus, mas a compreensão de quem seja Deus e a maneira de servi-lo são muito diferentes. Na aparência, cheques frios ou com fundos são semelhantes, mas a realidade é diversa. Como ninguém quer entrar numa fria e ser enganado em questões tão sérias como a da salvação e condenação, é preciso ser precavido.

 

Jesus mesmo nos faz advertências a respeito: “Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos” MT. 7,11; “Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos” Mr. 24,24; “Cuidai que ninguém vos seduza. Muitos virão em meu nome dizendo Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos”. MT. 24,4s e “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores”. MT. 7,15.

 

Diante destas advertências tão sérias, nos perguntamos: quais são os sinais, os critérios para distinguirmos um profeta verdadeiro de outro falso? Será que o sucesso dos falsos profetas não está exatamente em eles oferecerem o que seus fregueses procuram? Muita gente não está procurando um paraíso já aqui na terra? O que a chamada “teologia da prosperidade” promete - curas milagrosas, sucesso econômico, euforia dos prazeres, luxo, conforto – não é apenas conteúdo materialista? Certa exploração de emoções alienantes não está em contraste com a exigência de penitência e conversão do coração? Através de pregações seletivas, o espírito maligno não está adulterando ou instrumentalizando a Palavra de Deus? Na “concorrência religiosa” não se está apenas buscando adeptos e dízimo gordo em vez de “buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e sua justiça”? MT.6,33.  Não é bem isto que estamos vendo em tantas pregações e cultos na mídia?

 

Diante de tudo isto, fazemos de novo a pergunta: existem sinais e critérios para distinguirmos um profeta verdadeiro de outro falso?

 

Sem pretender ser exaustivo, quero apresentar alguns critérios evangélicos:

 

* Deus Trindade é comunidade e, por isso, Jesus deixou sua Palavra e salvação entregue a uma Comunidade e não a uma pessoa apenas.

*  A primitiva Comunidade cristã “perseverava na doutrina dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” At. 2,42. Estas são características essenciais da Igreja de Jesus.

*  Jesus instituiu legítimos ministros representantes seus: “Naqueles dias Jesus foi à montanha para orar. Passou a noite toda em oração a Deus. Ao amanhecer, chamou os discípulos e escolheu doze entre eles... Lc. 6,12s. “Não fostes vós que me escolhestes, mas Eu que vos escolhi e vos designei...” Jo. 15,16. “Quem vos escuta, a mim escuta e quem vos despreza, a mim está desprezando; ora quem me despreza, está desprezando aquele que me enviou” Lc.10,16.

*  A Pedro, Jesus constituiu cabeça do colégio apostólico: “Tu és Pedro e sobre esta pedra construirei a minha igreja, e as forças do mal não poderão vencê-la. Eu te darei as chaves do  Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus... MT.16,18s. “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes”? ... “Sê pastor de minhas ovelhas” Jo. 21,16.

*  Os apóstolos escolheram, em nome de Jesus, seus sucessores: At.1,23ss.

*  Para alguém estar à frente da Igreja de Jesus deve ter recebido um mandato dos legítimos sucessores dos Apóstolos. “Como o Pai me enviou também eu vos envio” Jo. 20,21. “Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda a criatura”Mc. 16,15. Hoje em dia qualquer um se autodeclara bispo ou apóstolo, funda uma igreja, se apresenta como representante de Jesus e sai a explorar a ignorância e o sentimento religioso do povo. E muitos ingênuos os seguem, sem discernir. Pregadores independentes, sem obediência aos legítimos representantes de Jesus, são um perigo, pois não são enviados por Deus, vão em nome próprio.

*  Desde o início da Igreja, foi muito grande trabalho dos apóstolos e sucessores para zelar pelo conteúdo exato da fé e organização da Igreja, pois sempre, como Jesus profetizara, surgiram muitos falsos profetas: Gl. 1,6ss; 2 Tim.4,3ss; 2 Ped.2,1ss.

*  Outro critério importante é tomar cuidado com as falsas interpretações da palavra de Deus: veja 2 Ped.3,15ss; 2 Ped.1,20s.


Fonte: Pe. Sílvio Mocelin
Postado em: 12/11/2010 às 12:05:06



Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil