Artigos

 A Voz do Pastor - Dom Sérgio Braschi


   

Bem Aventurado João Paulo II, rogai por nós!

 

O mês de maio se abre com o domingo da Divina Misericórdia, oitava da Páscoa, que coincide com o 1º de Maio, festa de São José Operário, dia do Trabalhador.

 

Há muitos anos o saudoso Papa João Paulo II instituiu, no domingo da oitava da Páscoa, a Festa de Jesus Divina Misericórdia. É uma devoção que brotou na sua terra natal – a Polônia- com as revelações do próprio Jesus a uma religiosa, Santa Faustina Kowalska.

 

Irmã Faustina viveu apenas 33 anos, tendo entrado em 1925 na Congregação das Irmãs da Bem-Aventurada Virgem Maria da Misericórdia. Ai, em diversas casas do Instituto, desempenhou de modo exemplar as funções de cozinheira, jardineira e porteira. Teve uma vida espiritual extraordinária rica de generosidade, de amor e de carismas, que escondeu na humildade dos empenhos quotidianos. O Senhor escolheu esta religiosa para se tornar apóstola da sua Misericórdia, conforme lemos no diário que ela deixou por ordem expressa de Jesus. Diz o Senhor a Ir. Faustina:

 

“Tua tarefa é escrever tudo que te dou a conhecer sobre minha Misericórdia, para o proveito das almas, as quais lendo estes escritos experimentarão consolo na alma e terão coragem de se aproximar de mim. E, por isso, desejo que dediques todos os momentos livre a escrever.” (Diário 1693).

 

Em 1934, Irmã Faustina ofereceu-se a Deus pelos pecadores, sobretudo por aqueles que tinham perdido a esperança na misericórdia divina. Nutriu uma fervorosa devoção a Eucaristia e á Mãe do Redentor, e amou intensamente a Igreja participando, no escondimento, de sua missão de salvação. Enriqueceu a sua vida consagrada e o seu apostolado com o sofrimento do espírito e do coração. Consumada pela tuberculose, morreu santamente em Cracóvia no dia 5 de outubro de 1938, com a idade de 33 anos.

 

As revelações de Nosso Senhor a Santa Faustina falam de “agora” como tempo de misericórdia. Existe uma urgência especial nessa mensagem. Repetidamente Jesus enfatizou que agora é o dia da misericórdia, antes da vinda do julgamento. Agora é o tempo da preparação para a vinda do Senhor. “Escreva isto” – disse Nosso Senhor e ela: 

“Antes de vir como justo Juiz, venho como Rei da Misericórdia” (Diário de Santa Faustina, 83). “Coloquem a esperança na Minha misericórdia os maiores pecadores. Eles têm mais direito do que outros à confiança no abismo da Minha misericórdia. () A estas almas concedo graças que excedem os seus pedidos. (D. 1146).

 

Nossa diocese de Ponta Grossa – desde a última Assembléia Diocesana – tem buscado ser uma Igreja Misericordiosa e Missionária. E em muitas paróquias e capelas rezam-se o terço da Misericórdia, geralmente às 3 horas da tarde, porque foi à hora em que Nosso Senhor morreu por nós.

 

Queridos diocesanos. Este ano o Domingo da Divina Misericórdia vem marcado por outro fato muito grato a todos nós: a Beatificação do Papa João Paulo II, que será elevado a honra dos altares na solene celebração da Praça de São Pedro, em que participarei, levando no coração toda a diocese.

 

Sei que vocês estarão fazendo, cada semana, os encontrinhos missionários das Sete Semanas. E o primeiro será justamente sobre o novo beato, João Paulo II. Aproveitem bem todos os encontros, os CDs e Vídeos propostos, que nos farão crescer nesse espírito missionário e misericordioso, que aprendemos de Nossa Senhora de Guadalupe, quando se apresentou ao índio Juan Diego dizendo: “Não estou eu aqui que sou tua Mãe, meu mais pequenino de meus filhos...?”

 

A todos desejo um abençoada Tempo Pascal, com meu afetuoso abraço.

 

+ Sérgio Arthur Braschi, bispo diocesano.



Fonte: jornal A Boa Nova, pag. 02
Postado em: 15/05/2011 às 23:29:11



Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil