Artigos

 Ou sonho, ou imaginação!


   

Esta é aminha devoção

Já faz parte da minha vida

Fortalece mais minha fé

E do mal me traz protegida

Pois até de João Paulo II

Fora sua oração preferida

Cada conta é uma rosa

Que se oferece à Mãe querida.

Em viagem á Aparecida do Norte

Rezei o terço na saída.

                                                               Quatro horas da manhã

                                               O segundo terço iniciei

                                               Já no centro da capital

                                                A atenção eu descontrolei

                                               Eu rezava olhando a cidade

                                                 E distraí quantas vezes, não sei!

                                                 Com o cansaço da viagem

                                                No meio da reza eu cochilei

                                                Tive um sonho quase real

                                                Que jamais esquecerei!

Avistei uma jovem mulher

Que mirava em minha direção

Olhar meigo e uma voz suave

Eu cheguei a tremer de emoção

Meditava essas lindas palavras

Apontando-lhe ao seu coração

“Eu agradeço pelas rosas”

Ainda vale a intenção                                  Essa moça ali estava

Mesmo não tendo ficado                            apoiada num grande pilar

“Com nenhuma em minhas mãos”                        suas vestes brilhavam na noite.

                                                                       Um sorriso franco no olhar

                                                                       Chamando a minha atenção

                                                                       Começa então me falar:

                                                                       -já recebi buques de rosas

                                                                       Que dá gosto de pô-las no altar

                                                                       Mas agora distantes passaram

                                                                       Tão alto! Eu não consegui pegar.

 

Algumas rosas caíram

Ficando aí pelo caminho

Suas pétalas se perderam

Restando somente os espinhos                                                                

Outras por perto passaram                                   

Com o vento voavam baixinho                             

Que pena! Fiquei esperando

Pra apanha-las com carinho                      

Mas estas já nem serviam                                                  

Pra uma ave fazer seu ninho                                             

                                   Uma criança vestida de branco

                                   De repente surge do nada

Sussurrando ela me falou

Deixando-me ainda mais assustada:

-E veio até uma vassoura

-mas também estava quebrada

Que nem deu para retirar

Os espinhos da estrada

Portanto, se feriste os pés,

Por favor. Não me julgues culpada!

Confesso, eu senti vergonha!

Desta minha estupidez

Igual a Eva sentiu de Deus

Ao perceber a sua nudez

Ali eu revi minha fé

Com nunca, desta vez,

Mas tive esse aprendizado

E hoje eu garanto pra vocês

Que um terço bem rezado               É no momento da prece

Vale mais que dois ou três.             Que se curva o bom cristão.

                                                           Fundamental é a disciplina,

                                                           Concentrar-se em oração

                                                           Meditando a cada palavra

                                                           E estar com Deus em comunhão

                                                           Intimamente em sintonia

                                                           Com quem se entrega em devoção

                                                           Como se estivesse numa conversa

                                                           Frente a frente com um irmão.

 

 


Fonte: Lenir de Andrade
Postado em: 29/12/2014 às 12:13:40



Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil