Evangelho Comentado por Pe. Carlo Battistoni - Centro Bíblico Regnum Dei

 V Domingo de Páscoa


22 de maio de 2011



   

«Não se perturbe o vosso coração! Crede em Deus, e crede em mim. Há muitos lugares na casa de meu Pai. Se não fosse assim, eu vos teria dito, porque vou preparar um lugar para vós. E depois que eu me for e vos tiver preparado o lugar, virei outra vez e vos levarei comigo. Assim, onde eu estou, vós estareis também. Sabeis o caminho do lugar aonde vou”. Tomé lhe disse: “Senhor, não sabemos para onde vais. Como poderíamos, então, conhecer o caminho?”. Jesus respondeu: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim; se conhecêsseis a mim, conheceríeis também a meu Pai. Desde já o conheceis e o tendes visto”. Filipe disse: “Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta!”. Jesus respondeu: “Filipe, há tanto tempo que convivo convosco e ainda não me conheces? Quem me vê, vê também o Pai. Como podes dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que vos digo não vêm de mim. Quem realiza estas obras é o Pai, que permanece em mim. Crede-me: eu estou no Pai e o Pai em mim. Crede ao menos em razão das obras. Em verdade vos digo: quem crê em mim fará as obras que eu faço. E fará até maiores, porque vou ao Pai» (Jo. 14,1-12).

 


 

            Em harmonia com as leituras que a Liturgia nos propôs nestes domingos de Páscoa, hoje o Evangelista nos dá a refletir sobre um dos maiores mistérios da vida cristã diante do qual somente nos cabe ficar admirados e extasiados. Trata-se da nova condição que a Páscoa gerou, e que não se limita penas ao fato da Ressurreição de Jesus mas envolve a humanidade inteira. Com certeza o conteúdo deste trecho do Evangelho é complexo e cheio de inúmeras implicações, por isto está longe de nós o desejo de fazer uma análise; iremos apenas refletir sobre o “sentido” daquilo que Jesus quis deixar como nossa herança, a fim de que possamos penetrar mais ainda a beleza da nossa Páscoa.

 

            O Evangelho se abre com admiráveis palavras que aplacam o coração que agita-se diante do turbilhão das inseguranças as quais, muitas vezes, induzem as pessoas a cumprir gestos e ter atitudes insanas. «Não se perturbe o vosso coração!» diz Jesus aos discípulos que estão prestes a entrar na maior crise de suas vidas; «Não se perturbe o vosso coração!» nos diz ainda hoje Jesus, quando parece que tudo em nós esteja perdendo sentido. Um coração perturbado não enxerga nada mais que os seus medos, não enxerga o amor dos outros, a atenção dos outros à nossas penas; não enxerga que o mundo continua percorrendo o seu caminho com a calma de sempre. O coração perturbado cai facilmente na tentação do medo e se fecha em si mesmo, morrendo aos poucos.

 

 

Estas palavras que Jesus pronunciava pouco antes do início da Sua Paixão, infundem e transmitem uma certeza, uma segurança que está em Jesus e que é própria de cada pessoa que “sabe o que está dizendo”. O agito do coração e das emoções dificilmente nos permite contemplar os pequenos e grandes milagres da vida e tampouco olhar para dentro de nós mesmos. Aos discípulos “agitados” pela nova situação que estavam começando a enfrentar, Jesus parece recordar as palavras de Isaias: «A vossa salvação está no fato de se converter e sossegar. Pois, na tranqüilidade e na confiança está a vossa força» (Is. 30,15). Deste modo o Profeta indicava a atitude correta para aprender a viver uma nova e autêntica relação com Deus. A tranqüilidade da qual fala a Escritura não é evasão das dificuldades e problemas quotidianos, não é entorpecimento de uma vida relegada num mundo intimista.

 

O nosso coração fica “perturbado” quando a dificuldade toma conta de nós mesmos, quando não nos deixa livres e parece ofuscar a capacidade de decidir. O nosso coração está perturbado quando percebemos que uma comum dificuldade se torna maior do que é, nos investe, acaba tomando conta com ímpeto cada vez maior dos nossos sentimentos... e, o sabemos, um coração perturbado pode provocar grandes estragos!

 

            As palavras de Jesus, assumem significado ainda maior se considerarmos o momento e o contexto em que são pronunciadas. Os capítulos 14 a 17 são interpretados pelo Evangelista João, como o “testamento de Jesus”. De fato havia um uso entre os judeus (atestado no livro de Gênesis) conforme o qual, prestes a falecer, o pai de família entregava o seu testamento durante uma última refeição, como Jesus fez com os discípulos. O pai de família entregava o seu “patrimônio” espiritual e existencial; tudo o que foi realmente importante para a sua vida o deixava como herança para que continuasse vivo; entregava a verdadeira riqueza ao filho em que depositava a sua plena confiança a fim de que este continuasse, com o mesmo “estilo” do pai, aquilo que o pai não tinha mais condição de realizar. Assim, quando Jesus deixou estas palavras aos discípulos estava fazendo um ato cheio de significado: era o condensado de uma vida inteira que passava nas mãos dos Apóstolos para que eles continuassem com o mesmo estilo. A Igreja, a pequena, frágil, contraditória comunidade de Jesus se tornava herdeira e depositária de toda a confiança do Senhor do universo e da história. Caberia aos Apóstolos levar adiante o que foi importante para Jesus e Ele deu-lhes, também indicações claras de “como” poderiam levar adiante a missão de revelar ao mundo o verdadeiro rosto de Deus e o seu amor para com os homens. A paz do coração é sem dúvida alguma o caminho que mais imediatamente manifesta que confiamos no amor de Deus, que confiamos na Sua providência, que não precisamos nos agitar mais que tanto porque, afinal das contas, as coisas não ocupam o centro do nosso interesse, dos nossos desejos; quem ocupa este lugar é o amor a Deus e o amor de Deus. Enquanto o coração permanece “sem sossego, sem “tranqüilidade” (como dizia Isaías), temos um evidente sintoma de que ainda precisamos de “conversão”.

 

«Deixo a vocês a paz; dou a minha paz a vocês... a paz não como a dá o mundo» (Jo.14,27); existe uma “paz” que o homem busca com os seus meios, uma paz que é aparente segurança, feita de controle, acordos, acomodação, ambuguidade... esta é a paz alcançada com os meios “do mundo”, ou seja meios que prescindem da entrega a Deus. Quanto à eficácia destes meios Paulo é bem claro respondndo aos cristãos de Tessalônica que estavam curiosos de saber quando iria terminar o mundo: «Quando os homens disserem: “Paz e segurança”, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão» (1Tess. 4,3). A Paz que não será de modo algum tirada é aquela que provêm de Jesus; ora, coisas de Deus não se obtêm com meios humanos, não se alcançam pelas estratégias que pudermos excogitar, não são frutos da atitude de conquista, mas de entrega. É resultado de uma atitude que aprende a “crer”, como acabamos de ler no Evangelho de hoje.

 

 

Mas, o que significa: “crer”? Na linguagem bíblica “crer” não é um ato da inteligência, não significa “admitir”, aceitar, estar convencido etc. “Crer” indica uma maneira de viver. É um estilo de vida que, independentemente da consciência imediata, uma pessoa assume quando  adere, com todo si mesmo, a uma outra pessoa ou a Deus. Assim sendo, entendemos que “crer” significa “deixar-se envolver”. Crer é colocar-se ao lado de alguém, permitindo que a sua presença, o seu mundo, os seus sentimentos, façam parte da nossa vida e vice-versa. Assim sendo, “crer” é a manifestação, na vida, do amor verdadeiro: se ama de verdade “crendo”. “Crendo” em Jesus recebemos a “paz” que está no coração de Jesus porque aderimos a Ele. Participamos da “paz” que está em Jesus mesmo nos momentos mais difíceis porque aprendemos a saborear a Sua presença.

 

«Crede em Deus, e crede em mim» são as palavras de Jesus como nos foram transmitidas pelo Evangelista. Algumas traduções, tais como: “credes em Deus e crede também em mim”, são relativamente significativas, são pobres porque deixam a entender que Jesus primeiro faz uma constatação: o significado a seguir: “já que credes em Deus...” e depois faz um apelo: “crede também em mim...”. Mas não é este o sentido.  Nem Deus, nem Jesus são os objetos do “crer”, mas a condição, o “lugar” onde se aprende a crer, se aprende a aderir, se aprende o que é a paz do coração. Com as suas palavras, Jesus indica a condição na qual o discípulo poderá aprender o que significa “crer”.. “Em”, então indica que o discípulo aprenderá o caminho do crer “em” (estando) em Jesus. Ouvimos, ainda Jesus dizer: «onde eu estou, vós estareis também»; será lícito perguntarmo-nos, como fez Tomé: “afinal, onde Jesus estará depois da sua despedida?”

 

A resposta não demorou: a comunidade reunida por Jesus é e será o lugar de Sua definitiva presença enquanto perdurar o tempo.  Ali, o discípulo aprenderá o que significa “crer”, na prática, na vida real, nas opções que precisará fazer, no perdão que receberá e dará.... Ali, na comunidade onde Jesus permanecerá vivo o discípulo poderá respirar algo do amor do Pai e do Filho. Ali poderá intuir o que significou para Jesus “crer EM Deus” ou seja: “estando em Deus”, sempre mergulhado no Pai e contemporaneamente projetado aos homens.

 

Permanecendo na comunidade de Jesus, o discípulo poderá fazer experiência, dentro de suas condições e limites, do amor do Pai e do Filho, a fim de que isto modifique sua vida e seja sinal para os que têm o coração perturbado de que é possível a Paz.

 

Permanecer. Permanecer em Jesus gera a tranqüilidade sugerida por Isaías e Jesus. Afinal, quanto uma preocupação poderá perturbar o nosso coração se lembrarmos a nos mesmos as fortes e delicadas palavras de Jesus: «Eu vos levarei comigo»?

 

Sim, a decisão de aprender a crer estando em Jesus, no meio de todas as possíveis inseguranças e aflições que nos acometem, provoca aquela paz que tão bem o salmo descreve: «Fiz calar e sossegar o meu coração. Como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma» (131,2). Os braços de Jesus irão nos conduzir a conhecer “quem”, é o Pai.

 

Às vezes, quando nos momentos que parecem não ter saída, quando tudo fica escuro e o coração perturbado, de repente, gratuitamente, sem mais nem menos, Deus ilumina a sombra, dá calor ao coração... então eu ouço dirigidas a mim as mesmas palavras de Jesus a Felipe: «você Carlo ainda não Me conhece?»!

 

Apenas quem se entrega, conhece, tem a Paz. 

 

 

Pe. Carlo Batistoni


Postado em: 20/05/2011 as 10:32:07





Leia também


01 de agosto de 2014   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


20 de julho de 2014   -   XVI Domingo do Tempo Comum


06 de julho de 2014   -   XII Domingo do Tempo Comum


22 de junho de 2014   -   XII Domingo do Tempo Comum


01 de junho de 2014   -   Ascenção do Senhor


18 de maio de 2014   -   V Domingo de Páscoa


00 de de 0000   -   II Domingo da Quaresma


02 de março de 2013   -   VIII Domingo do Tempo Comum


23 de fevereiro de 2014   -   VII Domingo do Tempo Comum


09 de fevereiro de 2014   -   V Domingo do Tempo Comum


02 de fevereiro de 2014   -   Festa da Apresentação do Senhor


22 de dezembro de 2013   -   IV Domingo do Advento


08 de dezembro de 2013   -   Festa da Imaculada Conceição de Maria


01 de dezembro de 2013   -   I Domingo do Advento


17 de novembro de 2013   -   XXXIII Domingo do Tempo Comum


10 de novembro de 2013   -   XXXII Domingo do Tempo Comum


03 de novembro de 2013   -   Festa de Todos os Santos


27 de outubro de 2013   -   XXX Domingo do Tempo Comum


20 de outubro de 2013   -   XXIX Domingo do Tempo Comum


13 de outubro de 2013   -   XXVIII Domingo do Tempo Comum


06 de outubro de 2013   -   XXVII Domingo do Tempo Comum


29 de setembro de 2013   -   XXVI Domingo do Tempo Comum


22 de setembro de 2013   -   XXV Domingo do Tempo Comum


15 de setembro de 2013   -   XXIV Domingo do Tempo Comum


01 de setembro de 2013   -   XXII Domingo do Tempo Comum


25 de agosto de 2013   -   XXI Domingo do Tempo Comum


18 de agosto de 2013   -   Assunção de Nossa Senhora


11 de agosto de 2013   -   XIX Domingo do Tempo Comum


00 de de 0000   -   XIX Domingo do Tempo Comum


04 de agosto de 2013   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


28 de julho de 2013   -   XVII Domingo do Tempo Comum


21 de julho de 2013   -   XVI Domingo do Tempo Comum


14 de julho de 2013   -   XV Domingo do Tempo Comum


30 de junho de 2013   -   São Pedro e São Paulo


23 de junho de 2013   -   XII Domingo do Tempo Comum


16 de junho de 2013   -   XI Domingo do Tempo Comum


09 de junho de 2013   -   X Domingo do Tempo Comum


02 de junho de 2013   -   IX Domingo do Tempo Comum


19 de maio de 2013   -   Domingo de Pentecostes


12 de maio de 2013   -   Solenidade da Ascensão


05 de maio de 2013   -   VI Domingo de Páscoa


28 de abril de 2013   -   V Domingo de Páscoa


29 de abril de 2013   -   IV Domingo de Páscoa


07 de abril de 2013   -   II Domingo de Páscoa


24 de março de 2013   -   Domingo de Ramos


17 de março de 2013   -   V Domingo de Quaresma


10 de março de 2013   -   IV Domingo de Quaresma


03 de março de 2013   -   III Domingo de Quaresma


24 de fevereiro de 2013   -   II Domingo de Quaresma


23 de fevereiro de 2013   -   II Domingo de Quaresma


17 de fevereiro de 2013   -   I Domingo de Quaresma


10 de fevereiro de 2013   -   V Domingo do Tempo Comum


03 de fevereiro de 2013   -   IV Domingo do Tempo Comum


27 de janeiro de 2013   -   III Domingo do Tempo Comum


20 de janeiro de 2013   -   II Domingo do Tempo Comum


13 de janeiro de 2013   -   Festa do Batismo do Senhor


30 de dezembro de 2012   -   Festa da Sagrada Família


23 de dezembro de 2012   -   IV Domingo do Advento


16 de dezembro de 2012   -   III Domingo do Advento


09 de dezembro de 2012   -   II Domingo do Advento


02 de dezembro de 2012   -   I Domingo do Advento


25 de novembro de 2012   -   Festa de Cristo Rei


18 de novembro de 2012   -   XXXIII Domingo de Tempo Comum


11 de novembro de 2012   -   XXXII Domingo de Tempo Comum


04 de novembro de 2012   -   Festa de todos os Santos


28 de outubro de 2012   -   XXX Domingo de Tempo Comum


21 de outubro de 2012   -   XXIX Domingo de Tempo Comum


14 de outubro de 2012   -   XXVIII Domingo de Tempo Comum


07 de outubro de 2012   -   XXVII Domingo de Tempo Comum


30 de setembro de 2012   -   XXVI Domingo de Tempo Comum


23 de setembro de 2012   -   XXV Domingo de Tempo Comum


16 de setembro de 2012   -   XXIV Domingo de Tempo Comum


09 de setembro de 2012   -   XXIII Domingo de Tempo Comum


02 de setembro de 2012   -   XXII Domingo do Tempo Comum


26 de agosto de 2012   -   XXI Domingo do Tempo Comum


19 de agosto de 2012   -   Assunção de Maria ao Céu


12 de agosto de 2012   -   XIX Domingo do Tempo Comum


05 de agosto de 2012   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


29 de julho de 2012   -   XVII Domingo do Tempo Comum


22 de julho de 2012   -   XVI Domingo do Tempo Comum


15 de julho de 2012   -   XV Domingo do Tempo Comum


08 de julho de 2012   -   XIV Domingo do Tempo Comum


01 de julho de 2012   -   São Pedro e São Paulo


24 de junho de 2012   -   Nascimento de João Batista


17 de junho de 2012   -   XI Domingo do Tempo Comum


10 de junho de 2012   -   X Domingo do Tempo Comum


07 de junho de 2012   -   Corpus Christi‏


03 de junho de 2012   -   Festa da Santíssima Trindade


27 de maio de 2012   -   Domingo de Pentecostes


20 de maio de 2012   -   Ascensão de Nosso Senhor


13 de maio de 2012   -   VI Domingo de Páscoa


06 de maio de 2012   -   V Domingo de Páscoa


29 de abril de 2012   -   IV Domingo de Páscoa


22 de abril de 2012   -   III Domingo de Páscoa


15 de abril de 2012   -   II Domingo de Páscoa


08 de abril de 2012   -   Domingo de Páscoa


01 de abril de 2012   -   Domingo de Ramos


25 de março de 2011   -   V Domingo da Quaresma


18 de março de 2011   -   IV Domingo da Quaresma


11 de março de 2012   -   III Domingo da Quaresma


04 de março de 2012   -   II Domingo da Quaresma


26 de fevereiro de 2012   -   I Domingo de Quaresma


19 de fevereiro de 2012   -   VII Domingo do Tempo Comum


12 de fevereiro de 2012   -   VI Domingo do Tempo Comum


05 de fevereiro de 2012   -   V Domingo do Tempo Comum


29 de janeiro de 2012   -   IV Domingo do Tempo Comum


22 de janeiro de 2012   -   III Domingo do Tempo Comum


15 de janeiro de 2011   -   II Domingo do Tempo Comum


25 de dezembro de 2011   -   Natal do Senhor


18 de dezembro de 2011   -   IV Domingo do Advento


11 de dezembro de 2011   -   III Domingo do Advento


04 de dezembro de 2011   -   II Domingo de Advento


27 de novembro de 2011   -   I Domingo do Advento


20 de novembro de 2011   -   Festa de Cristo Rei


13 de novembro de 2011   -   XXXIII Domingo do Tempo Comum


30 de outubro de 2011   -   XXXI Domingo do Tempo Comum


23 de outubro de 2011   -   XXX Domingo do Tempo Comum


16 de outubro de 2011   -   XXIX Domingo do Tempo Comum


09 de outubro de 2011   -   XXVIII Domingo do Tempo Comum


02 de outubro de 2011   -   XXVII Domingo do Tempo Comum


25 de setembro de 2011   -   XXVI Domingo do Tempo Comum


15 de setembro de 2011   -   XXV Domingo do Tempo Comum


11 de setembro de 2011   -   XXIV Domingo do Tempo Comum


04 de setembro de 2011   -   XXIII Domingo do Tempo Comum


28 de agosto de 2011   -   XXII Domingo do Tempo Comum


21 de agosto de 2011   -   Assunção de Nossa Senhora


14 de agosto de 2011   -   20° Domingo do Tempo Comum


07 de agosto de 2011   -   XIX Domingo de Tempo Comum


31 de julho de 2011   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


24 de julho de 2011   -   XVII Domingo do Tempo Comum


17 de julho de 2011   -   XVI Domingo do Tempo Comum


10 de julho de 2011   -   XV Domingo do Tempo Comum


03 de julho de 2011   -   São Pedro e São Paulo


26 de junho de 2011   -   XIII Domingo do Tempo Comum


19 de junho de 2011   -   FESTA DA SANTÍSSIMA TRINDADE


12 de junho de 2011   -   Domingo de Pentecostes


05 de junho de 2011   -   Ascensão do Senhor


29 de maio de 2011   -   VI Domingo de Páscoa


22 de maio de 2011   -   V Domingo de Páscoa


15 de maio de 2011   -   IV Domingo de Páscoa


08 de maio de 2001   -   III Domingo de Páscoa


01 de maio de 2011   -   II Domingo de Páscoa


24 de abril de 2011   -   PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO


17 de abril de 2011   -   Domingo de Ramos


10 de abril de 2011   -   V Domingo de Quaresma


03 de abril de 2011   -   IV Domingo da Quaresma


27 de março de 2011   -   III Domingo da Quaresma


20 de março de 2011   -   II Domingo da Quaresma


13 de março de 2011   -   I DOMINGO DE QUARESMA


06 de março de 2011   -   IX Domingo tempo comum


27 de fevereiro de 2011   -   VIII Domingo do Tempo Comum


20 de fevereiro de 2011   -   VII Domingo do Tempo Comum


13 de fevereiro de 2011   -   VI Domingo do Tempo Comum


06 de fevereiro de 2011   -   V DOMINGO DO TEMPO COMUM


30 de janeiro de 2011   -   IV DOMINGO DO TEMPO COMUM


23 de janeiro de 2011   -   III DOMINGO DO TEMPO COMUM


16 de janeiro de 2011   -   II DOMINGO DO TEMPO COMUM


09 de janeiro de 2011   -   BATISMO DO SENHOR


02 de janeiro de 2011   -   EPIFANIA DE NOSSO SENHOR


25 de dezembro de 2010   -   Natal do Senhor


19 de dezembro de 2010   -   IV DOMINGO DE ADVENTO


12 de dezembro de 2010   -   III DOMINGO DE ADVENTO


05 de dezembro de 2010   -   II DOMINGO DE ADVENTO


28 de novembro de 2010   -   I DOMINGO DE ADVENTO


21 de novembro de 2010   -   FESTA DE CRISTO REI


07 de novembro de 2010   -   XXXII Domingo do Tempo Comum


31 de outubro de 2010   -   XXXI Domingo do Tempo Comum





Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil