Evangelho Comentado por Pe. Carlo Battistoni - Centro Bíblico Regnum Dei

 V Domingo da Quaresma


25 de março de 2011



   

            «Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa.  A1proximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: “Senhor, gostaríamos de ver Jesus”. Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. Jesus respondeu-lhes: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo, vai conservá-la para a vida eterna. Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Agora sinto-me angustiado. E que direi? ‘Pai, livra-me desta hora?’ Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. Pai, glorifica o teu nome!” Então veio uma voz do céu: “Eu o glorifiquei e glorificarei de novo!”. A multidão, que aí estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: “Foi um anjo que falou com ele”. Jesus respondeu e disse: “Essa voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim”. Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer » (Jo. 12,20-33).

 


 

 

            Para os hebreus, convergir para Jerusalém era um dos sinais mais fortes que serviam a manter viva a própria identidade; era também um sinal simbólico com o qual se antecipava ritualmente, assim como faziam os profetas, o triunfo de Jahvé sobre os outros povos com as suas divindades. Era questão de honra poder ir a Jerusalém na “casa do Senhor”. Os que moravam na terra de Israel costumavam ir todo ano, os hebreus da diáspora, isto é, aqueles espalhados em outros Países, pelo menos uma vez na vida iam a Jerusalém. Tal peregrinação era uma grande festa. De algum modo recordava também a ação libertadora de Jahvé tanto em relação à saída do Egito, quanto ao regresso dos Hebreus na palestina com o Edito de Ciro do ano 538 a.C. Tais sentimentos são bem expressos na invocação de Jeremias: «Se dirá naqueles dias: “O Senhor é nossa Justiça!' Eis que chegarão dias - oráculo do Senhor - em que já não dirão: 'Viva o Senhor que tirou do Egito os filhos de Israel'; mas sim: 'Viva o Senhor que tirou e reconduziu a linhagem de Israel do país do Norte e de todos os países, para onde os dispersara, e os fez habitar na sua própria terra» (Jer. 23,7).

 

            A peregrinação a Jerusalém deveria também antecipar ritualmente o julgamento final da história que aconteceria em Jerusalém. Todo hebreu fazia própria a convicção expressa pelo Profeta Isaías: «Nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do Senhor será estabelecido no cimo dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão todos os povos. Virão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor de Jerusalém» (Is. 2,2). Como todo hebreu, também Jesus tinha ido à Cidade Santa e aclamado com hinos e ramos de palmeira.

 

            No meio de tanta confusão, no meio de uma tensão latente que nos prepara para os últimos dias da paixão e morte de Jesus, o Evangelista aponta a sua atenção para um pequeno episódio no qual viu, como que antecipado, o exordio final da vida e morte do Senhor. Trata-se de “gregos”, a leitura mais apropriada nos faz entender que se trata realmente de estrangeiros que vieram para a festa dos hebreus, mas, na verdade o que desejavam era “ver Jesus”. Eis, então, uma constatação que ressalta de imediato: os últimos dias de Jesus em Jerusalém correspondem também aos “últimos dias” prenunciados pelos Profetas, isto é , manifestam desde agora o julgamento final de Deus sobre a história dos homens. O centro da atenção são os “gregos”, a indicar os povos que não conhecem a Jesus por tradição mas que, de algum modo entram em contato com Ele. É o prelúdio da Evangelização, que se expandirá no mundo pagão à partir da vida da comunidade cristã. O Evangelho não alcançará todas as nações pela força da propaganda, pelo poder e número de seus adeptos, mas sim pela “curiosidade”; sim, uma curiosidade que manifesta  o desejo ínsito na pessoa humana de superar sempre a si mesmo, de conhecer o que não conhece, de transcender o próprio limite questionando o próprio limite. Foi a “curiosidade” que moveu Moisés em direção da sarça. Aqui Felipe, que outrora havia suscitado curiosidade em Natanael quando lhe disse: «Encontramos o Messias!... Vem e vê!» (Jo. 1,46), agora estava outra vez envolvido pela curiosidade de estrangeiros. Ele deverá dar-lhes uma resposta.

 

            Sim, a leitura nos mostra claramente que Jesus não fala diretamente com os gregos, mas caberá à Sua comunidade responder quanto a Jesus. A Igreja é, assim, a intermediária pela qual o Senhor transmite a experiência autêntica da Sua pessoa. Ao longo três anos, Jesus falou poucas vezes sobre si mesmo, na grande parte usou comparações e outras imagens; Ele fez com que os discípulos fizessem uma profunda experiência sobre “quem é” o Filho do Homem, essa experiencia se tornaria o patrimônio a ser oferecido pelos séculos a todos os “estrangeiros”,isto é, àqueles que não eram considerados dignos de salvação por “direito natural” como, do contrário, consideravam-se os Hebreus.

 

            Temos mais uma indicação importante que abre a leitura desse trecho. Notamos uma sequência de três momentos que indicam de algum modo um dos caminhos pelos quais se vem à fé. Num primeiro tempo os gregos vão para a “festa dos judeus”, essa é o centro da atenção m,as aos poucos a “festa” se esgota, não diz mais nada, não consegue satisfazer a “curiosidade” que está em pessoas abertas à vida. O objetivo se torna Jesus. O verbo usado: «Ver» não indica uma visão ótica, a cultura grega e a linguagem de João distinguem perfeitamente entre o que se vê aparentemente e o que se vê além das aparências. Esse modo de entender é ligado à filosofia Platônica pela qual a aparência não corresponde plenamente à realidade eterna. Então: é isso que os gregos queriam ver. O que há de eterno, de verdadeiro, que não é destinado a terminar. Algo pelo qual vale a pena envolver a existência.

 

            O terceiro momento desse processo pelo qual se chega “conhecer Jesus”, a «Ver Jesus» está na resposta que o Senhor dá aos seus discípulos, a mesma que eles deverão dar a todos os estrangeiros até o fim dos tempos. Jesus não dá uma solução “simplória”, “barata”, fácil e idealista. Jesus fala de vida e de como viver a vida. De algum modo Ele indica o “preço” que é preciso pagar para conhecer realmente quem é Jesus e “ver” de fato, realmente o que está Nele. Ao contrário de qualquer ideologia, até ideologia religiosa, a fé em Cristo é “visível”, isto é, irradia-se por si própria e contagia as pessoas que veem o cristão autêntico. Logo o apelo que Jesus faz aos discípulos pode-se resumir em poucas palavras: “Não digam nada sobre mim, me sigam e isso falará por si próprio”. Assim como Jesus é a glória do Pai, também na vida dos discípulos o Senhor será glorificado, isto é, manifestado em toda a sua beleza aos homens: «Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado». Glorificado pelo Pai, que reconhece o Seu amor fiel até o fim e glorificado pelos cristãos que, com as suas atitudes de fidelidade (seguir), dirão ao mundo qual é o verdadeiro rosto de Jesus, dirão “quem” Ele é.

 

            Seguir a Jesus é “servir a Jesus”; é com esse amor que Ele deseja ser amado, porque o amor real é fiel e irreversível; a cruz mostrará a irreversibilidade do amor o qual não volta atrás, não abandona, não desiste porque é regido por um laço que é mais que humano, é divino, já que o Amor é a essência de Deus. Mas como conhecer a Jesus se não formos capazes de seguir o caminho que Ele escolheu?

 

            O Evangelista nos mostra um lado profundamente humano de Jesus; ele não é um exaltado estoico, que desdenha o medo e o sufoca com um alucinado fervor religioso (como acontece com aqueles que se iludem de agradar a Deus provocando a morte com o próprio suicídio...). Jesus é um homem que ama a vida. Ele mesmo é a Vida. Por isso confessa a sua apreensão diante da morte, pois nenhum homem é feito para a morte; ela é tolerada, sim, mas não consegue ser integrada com os impulsos vitais que nos movem a cada dia. Neo o homem é feito para a morte nem a morte é para o homem.

 

            Por outro lado Jesus se compara com o grão de trigo. Isso obviamente não é para enaltecer a “morte”, mas para indicar que, muitas vezes, é quando morremos a várias coisas da nossa vida, dos nossos projetos; quando morremos ao nosso “eu” que deseja sempre triunfo e sucesso... É então que, de dentro de nós, se libera toda a potencialidade de vida, assim como acontece com a semente. Quando aprendemos a perder coisas, convicções, certezas, veem à tona recursos que sequer imaginaríamos de ter na nossa vida. Quando deixamos “morrer” aquilo que nos deixaria “sozinhos” («resta só...» diz Jesus),  nos deixaria “apenas o que somos agora”... pois então, será naquele mesmo momento que toda a vida que Deus colocou em nós encontrará a sua explosão.

 

            «Onde eu estou, estareis também vós...»; o caminho da profunda comunhão com Jesus não passa pelo triunfo e sucesso, passa pela perda, perda em nome do amor, perda que se transforma em riqueza de vida para muitos, para «todos» dirá Jesus.

 

            Será ainda necessário nos perguntar: “onde está Jesus?”. Ainda que fosse necessário, a resposta que pode convencer “gregos” que buscam a verdade definitiva, é apenas uma: onde se ama sem condições, de modo visível e objetivo. O discípulo poderá “servir” a Jesus oferecendo a si mesmo como o “lugar” onde poderá tornar-se visível a qualidade do amor do Filho do homem.

 

 

 

 


Postado em: 23/03/2012 as 19:40:53





Leia também


01 de agosto de 2014   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


20 de julho de 2014   -   XVI Domingo do Tempo Comum


06 de julho de 2014   -   XII Domingo do Tempo Comum


22 de junho de 2014   -   XII Domingo do Tempo Comum


01 de junho de 2014   -   Ascenção do Senhor


18 de maio de 2014   -   V Domingo de Páscoa


00 de de 0000   -   II Domingo da Quaresma


02 de março de 2013   -   VIII Domingo do Tempo Comum


23 de fevereiro de 2014   -   VII Domingo do Tempo Comum


09 de fevereiro de 2014   -   V Domingo do Tempo Comum


02 de fevereiro de 2014   -   Festa da Apresentação do Senhor


22 de dezembro de 2013   -   IV Domingo do Advento


08 de dezembro de 2013   -   Festa da Imaculada Conceição de Maria


01 de dezembro de 2013   -   I Domingo do Advento


17 de novembro de 2013   -   XXXIII Domingo do Tempo Comum


10 de novembro de 2013   -   XXXII Domingo do Tempo Comum


03 de novembro de 2013   -   Festa de Todos os Santos


27 de outubro de 2013   -   XXX Domingo do Tempo Comum


20 de outubro de 2013   -   XXIX Domingo do Tempo Comum


13 de outubro de 2013   -   XXVIII Domingo do Tempo Comum


06 de outubro de 2013   -   XXVII Domingo do Tempo Comum


29 de setembro de 2013   -   XXVI Domingo do Tempo Comum


22 de setembro de 2013   -   XXV Domingo do Tempo Comum


15 de setembro de 2013   -   XXIV Domingo do Tempo Comum


01 de setembro de 2013   -   XXII Domingo do Tempo Comum


25 de agosto de 2013   -   XXI Domingo do Tempo Comum


18 de agosto de 2013   -   Assunção de Nossa Senhora


11 de agosto de 2013   -   XIX Domingo do Tempo Comum


00 de de 0000   -   XIX Domingo do Tempo Comum


04 de agosto de 2013   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


28 de julho de 2013   -   XVII Domingo do Tempo Comum


21 de julho de 2013   -   XVI Domingo do Tempo Comum


14 de julho de 2013   -   XV Domingo do Tempo Comum


30 de junho de 2013   -   São Pedro e São Paulo


23 de junho de 2013   -   XII Domingo do Tempo Comum


16 de junho de 2013   -   XI Domingo do Tempo Comum


09 de junho de 2013   -   X Domingo do Tempo Comum


02 de junho de 2013   -   IX Domingo do Tempo Comum


19 de maio de 2013   -   Domingo de Pentecostes


12 de maio de 2013   -   Solenidade da Ascensão


05 de maio de 2013   -   VI Domingo de Páscoa


28 de abril de 2013   -   V Domingo de Páscoa


29 de abril de 2013   -   IV Domingo de Páscoa


07 de abril de 2013   -   II Domingo de Páscoa


24 de março de 2013   -   Domingo de Ramos


17 de março de 2013   -   V Domingo de Quaresma


10 de março de 2013   -   IV Domingo de Quaresma


03 de março de 2013   -   III Domingo de Quaresma


24 de fevereiro de 2013   -   II Domingo de Quaresma


23 de fevereiro de 2013   -   II Domingo de Quaresma


17 de fevereiro de 2013   -   I Domingo de Quaresma


10 de fevereiro de 2013   -   V Domingo do Tempo Comum


03 de fevereiro de 2013   -   IV Domingo do Tempo Comum


27 de janeiro de 2013   -   III Domingo do Tempo Comum


20 de janeiro de 2013   -   II Domingo do Tempo Comum


13 de janeiro de 2013   -   Festa do Batismo do Senhor


30 de dezembro de 2012   -   Festa da Sagrada Família


23 de dezembro de 2012   -   IV Domingo do Advento


16 de dezembro de 2012   -   III Domingo do Advento


09 de dezembro de 2012   -   II Domingo do Advento


02 de dezembro de 2012   -   I Domingo do Advento


25 de novembro de 2012   -   Festa de Cristo Rei


18 de novembro de 2012   -   XXXIII Domingo de Tempo Comum


11 de novembro de 2012   -   XXXII Domingo de Tempo Comum


04 de novembro de 2012   -   Festa de todos os Santos


28 de outubro de 2012   -   XXX Domingo de Tempo Comum


21 de outubro de 2012   -   XXIX Domingo de Tempo Comum


14 de outubro de 2012   -   XXVIII Domingo de Tempo Comum


07 de outubro de 2012   -   XXVII Domingo de Tempo Comum


30 de setembro de 2012   -   XXVI Domingo de Tempo Comum


23 de setembro de 2012   -   XXV Domingo de Tempo Comum


16 de setembro de 2012   -   XXIV Domingo de Tempo Comum


09 de setembro de 2012   -   XXIII Domingo de Tempo Comum


02 de setembro de 2012   -   XXII Domingo do Tempo Comum


26 de agosto de 2012   -   XXI Domingo do Tempo Comum


19 de agosto de 2012   -   Assunção de Maria ao Céu


12 de agosto de 2012   -   XIX Domingo do Tempo Comum


05 de agosto de 2012   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


29 de julho de 2012   -   XVII Domingo do Tempo Comum


22 de julho de 2012   -   XVI Domingo do Tempo Comum


15 de julho de 2012   -   XV Domingo do Tempo Comum


08 de julho de 2012   -   XIV Domingo do Tempo Comum


01 de julho de 2012   -   São Pedro e São Paulo


24 de junho de 2012   -   Nascimento de João Batista


17 de junho de 2012   -   XI Domingo do Tempo Comum


10 de junho de 2012   -   X Domingo do Tempo Comum


07 de junho de 2012   -   Corpus Christi‏


03 de junho de 2012   -   Festa da Santíssima Trindade


27 de maio de 2012   -   Domingo de Pentecostes


20 de maio de 2012   -   Ascensão de Nosso Senhor


13 de maio de 2012   -   VI Domingo de Páscoa


06 de maio de 2012   -   V Domingo de Páscoa


29 de abril de 2012   -   IV Domingo de Páscoa


22 de abril de 2012   -   III Domingo de Páscoa


15 de abril de 2012   -   II Domingo de Páscoa


08 de abril de 2012   -   Domingo de Páscoa


01 de abril de 2012   -   Domingo de Ramos


25 de março de 2011   -   V Domingo da Quaresma


18 de março de 2011   -   IV Domingo da Quaresma


11 de março de 2012   -   III Domingo da Quaresma


04 de março de 2012   -   II Domingo da Quaresma


26 de fevereiro de 2012   -   I Domingo de Quaresma


19 de fevereiro de 2012   -   VII Domingo do Tempo Comum


12 de fevereiro de 2012   -   VI Domingo do Tempo Comum


05 de fevereiro de 2012   -   V Domingo do Tempo Comum


29 de janeiro de 2012   -   IV Domingo do Tempo Comum


22 de janeiro de 2012   -   III Domingo do Tempo Comum


15 de janeiro de 2011   -   II Domingo do Tempo Comum


25 de dezembro de 2011   -   Natal do Senhor


18 de dezembro de 2011   -   IV Domingo do Advento


11 de dezembro de 2011   -   III Domingo do Advento


04 de dezembro de 2011   -   II Domingo de Advento


27 de novembro de 2011   -   I Domingo do Advento


20 de novembro de 2011   -   Festa de Cristo Rei


13 de novembro de 2011   -   XXXIII Domingo do Tempo Comum


30 de outubro de 2011   -   XXXI Domingo do Tempo Comum


23 de outubro de 2011   -   XXX Domingo do Tempo Comum


16 de outubro de 2011   -   XXIX Domingo do Tempo Comum


09 de outubro de 2011   -   XXVIII Domingo do Tempo Comum


02 de outubro de 2011   -   XXVII Domingo do Tempo Comum


25 de setembro de 2011   -   XXVI Domingo do Tempo Comum


15 de setembro de 2011   -   XXV Domingo do Tempo Comum


11 de setembro de 2011   -   XXIV Domingo do Tempo Comum


04 de setembro de 2011   -   XXIII Domingo do Tempo Comum


28 de agosto de 2011   -   XXII Domingo do Tempo Comum


21 de agosto de 2011   -   Assunção de Nossa Senhora


14 de agosto de 2011   -   20° Domingo do Tempo Comum


07 de agosto de 2011   -   XIX Domingo de Tempo Comum


31 de julho de 2011   -   XVIII Domingo do Tempo Comum


24 de julho de 2011   -   XVII Domingo do Tempo Comum


17 de julho de 2011   -   XVI Domingo do Tempo Comum


10 de julho de 2011   -   XV Domingo do Tempo Comum


03 de julho de 2011   -   São Pedro e São Paulo


26 de junho de 2011   -   XIII Domingo do Tempo Comum


19 de junho de 2011   -   FESTA DA SANTÍSSIMA TRINDADE


12 de junho de 2011   -   Domingo de Pentecostes


05 de junho de 2011   -   Ascensão do Senhor


29 de maio de 2011   -   VI Domingo de Páscoa


22 de maio de 2011   -   V Domingo de Páscoa


15 de maio de 2011   -   IV Domingo de Páscoa


08 de maio de 2001   -   III Domingo de Páscoa


01 de maio de 2011   -   II Domingo de Páscoa


24 de abril de 2011   -   PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO


17 de abril de 2011   -   Domingo de Ramos


10 de abril de 2011   -   V Domingo de Quaresma


03 de abril de 2011   -   IV Domingo da Quaresma


27 de março de 2011   -   III Domingo da Quaresma


20 de março de 2011   -   II Domingo da Quaresma


13 de março de 2011   -   I DOMINGO DE QUARESMA


06 de março de 2011   -   IX Domingo tempo comum


27 de fevereiro de 2011   -   VIII Domingo do Tempo Comum


20 de fevereiro de 2011   -   VII Domingo do Tempo Comum


13 de fevereiro de 2011   -   VI Domingo do Tempo Comum


06 de fevereiro de 2011   -   V DOMINGO DO TEMPO COMUM


30 de janeiro de 2011   -   IV DOMINGO DO TEMPO COMUM


23 de janeiro de 2011   -   III DOMINGO DO TEMPO COMUM


16 de janeiro de 2011   -   II DOMINGO DO TEMPO COMUM


09 de janeiro de 2011   -   BATISMO DO SENHOR


02 de janeiro de 2011   -   EPIFANIA DE NOSSO SENHOR


25 de dezembro de 2010   -   Natal do Senhor


19 de dezembro de 2010   -   IV DOMINGO DE ADVENTO


12 de dezembro de 2010   -   III DOMINGO DE ADVENTO


05 de dezembro de 2010   -   II DOMINGO DE ADVENTO


28 de novembro de 2010   -   I DOMINGO DE ADVENTO


21 de novembro de 2010   -   FESTA DE CRISTO REI


07 de novembro de 2010   -   XXXII Domingo do Tempo Comum


31 de outubro de 2010   -   XXXI Domingo do Tempo Comum





Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil